Início » George Müller (1805-1898): um grande exemplo de fé

George Müller (1805-1898): um grande exemplo de fé

George Müller nasceu na Alemanha, e converteu-se aos 20 anos. Em 1829, foi para a Inglaterra onde trabalhou para o Senhor até o final de sua vida. A vida deste homem foi totalmente marcada pela prática da caridade. Seu maior trabalho foi nos orfanatos em Bristol, na Inglaterra. Começando com duas crianças, o trabalho foi crescendo com o passar dos anos, e chegou a incluir cinco prédios construídos por ele mesmo, com nada menos que 2000 órfãos sendo alimentados, vestidos e educados. Ao todo, pelo menos dez mil órfãos passaram pelos orfanatos durante sua vida. Só a manutenção destes órfãos custava 26 mil libras por ano.

Nunca ficaram sem uma refeição, mas muitas vezes a resposta chegava na última hora. Às vezes sentavam para comer com pratos vazios, mas a resposta de Deus nunca falhava. A confiança que Müller tinha que Deus iria prover a alimentação de sua família e daquelas crianças inspira muitos até hoje. E seu trabalho amoroso e persistente transformou a igreja local e a mensagem do evangelho alcançou várias vidas que enxergavam a bondade e providência do Senhor através de seu servo.

A verdadeira religião

Este homem entendeu bem os ensinamentos que Tiago escreveu em sua carta “A religião pura e imaculada diante de nosso Deus e Pai é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas aflições e guardar-se isento da corrupção do mundo.” e mais a frente: “Mas vós desonrastes o pobre. Porventura não são os ricos os que vos oprimem e os que vos arrastam aos tribunais? Não blasfemam eles o bom nome pelo qual sois chamados? Todavia, se estais cumprindo a lei real segundo a escritura: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo, fazeis bem.”

Até quando vamos ficar parados vendo os poderosos humilhando e oprimindo os pobres? Até quando vamos ficar omissos enquanto os direitos das viúvas e dos órfãos são tirados? O evangelho e a vida de homens como George Müller me levam a essa reflexão. Encerro com um trecho de uma música antiga do João Alexandre, mas que está mais atual do que nunca: “Transformar o mundo é uma questão de compromisso. É muito mais e tudo isso.”