Início » Porque os jovens cristãos precisam ler livros antigos?

Porque os jovens cristãos precisam ler livros antigos?

Meu pai foi a um seminário de raízes antigas e com arquitetura excepcional. Eu lembro de andar pelo campus quando tinha apenas 9 anos, eu ficava admirada com os prédios enormes e bem decorados. Mas, entre todos, um prédio se destacou: a casa do presidente do seminário.
 
Não era porque o prédio era maior ou mais chamativo que os outros. Era porque um quarto do prédio tinha algo especial: a biblioteca do presidente. E era a maior biblioteca pessoal que eu havia visto.
Eu caminhava pela sala em silêncio. E não havia apenas muitos livros, havia muitos livros antigos. Milhares e milhares de lombadas e capas de couro a um olhar de mim.
 
Isso aconteceu porque o presidente do seminário, que investia tanto na vida dos jovens, sabia de uma coisa: que os jovens cristãos precisam aprender de livros antigos.
 

Jovens cristãos não precisam de novidade

Às vezes, a igreja pode ser levada a pensar que os jovens cristãos precisam de novidade.
 
Um novo aplicativo, uma nova tradução da Bíblia, ou uma nova verdade para os tempos modernos. Mas o que os jovens cristãos realmente precisam é de algo que seja tremenda e radicalmente antigo. Precisamos da fiel sabedoria que nos foi deixada pelos séculos.
 
Em lugar de novidade, tendência e moda; precisamos de algo simples, formoso e antigo.
Os cristãos jovens, em processo de crescimento na fé, precisam que os cristãos mais antigos os ajudem guiando, exortando e corrigindo. E, na providencia poderosa de Deus, Ele nos deu centenas de mães e pais na fé que podem nos ajudar através de seus escritos. Escritores como Agostinho, Martinho Lutero, Jonathan Edwards, John Newton, Fanny Crosby, J. C. Ryle, Amy Carmichael, e Corrie ten Boom ainda ensinam, advertem e encorajam a través de sua palavra escrita.
 
Quando não aprendemos da sabedoria antiga muito nos vai faltar. Mas como os escritos antigos são relevantes para os jovens crentes modernos? Como podem cristãos de tempos diferentes, com experiências diferentes e vocabulário diferente nos ensinar?
 
Aqui estão três coisas que os livros antigos podem ensinar a jovens cristãos:
 

1. Como se relacionar com a cultura

É tentador acreditar que vivemos em tempos únicos, que poucos do passado podem falar especialmente para nossa cultura. Mas isso não é verdade. Humanos tem estado lidando com os mesmos pecados e sofrimentos desde nossa expulsão do Éden. Claro, isso se manifesta de várias maneiras em épocas diferentes, mas os cristãos do passado podem ser surpreendentemente relevantes nesses assuntos.
 
No livro Thoughts for Young Men, de J. C. Ryle, traz conhecimento para jovens cristãos que desejam defender a verdade em meio a um ambiente cultural em constante transformação de forma atrativa e cativante.
 
 
 

2. Como lidar com romance

Apesar das caricaturas e esteriótipos, nem todos os cristãos do passado eram moralistas ou desmancha-prazeres. Muitos escreveram livremente sobre pureza sexual, romance, casamento e amor.
Acredite ou não, Jonathan Edwards e Charles Spurgeon já foram adolescentes e jovens e passaram pelas mesmas dificuldades, pressões e emoções que você enfrenta. Os seus escritos não permanecem distantes de nossa experiência: na verdade, eles falam com sabedoria sobre suas próprias experiências — especialmente quando se trata de romance e pureza sexual.
 
Por exemplo, As confissões de Agostinho é um livro cheio de reflexões práticas sobre a sua transição de uma vida de hedonismo sexual à pureza focada em Deus (incluso como ele lidou com um término de relacionamento).
 

3. Como lutar contra as tentações

Vivemos em um mundo onde a tentação nos engole. Mas sempre foi assim. Cristãos do passado escreveram por milênios sobre como lidar com as tentações.
 
Da luta contra o pecado à busca da santidade, eles também estiveram na mesma situação, e podem agora oferecer a você a sabedoria que apenas um mentor mais velho pode dar.
 
If de Amy Carmichael, por exemplo, é uma meditação poderosa e prática sobre como lutar contra as tentações ao lembrar-nos do amor de Cristo.
 
 
 

O MELHOR LIVRO ANTIGO

Ainda que leiamos e aprendamos dos livros humanos mais divinos, não podemos esquecer do melhor livro antigo: A Bíblia
 
Como Spurgeon disse: “Visite muitos livros, mas viva na Bíblia.” A Palavra de Deus é o único livro perfeito, mas o único livro que devemos estimar acima de todos os outros.
 
Mas isso não significa que não devemos ler outros livros antigos. Ao invés disso, isso deveria dar ainda mais combustível ao nosso desejo de ver e aprender com os cristãos antigos que fielmente amaram a Bíblia e ensinaram a partir do maior dos livros.
 
Jovem cristão, Deus te deu a oportunidade de aprender e crescer com livros antigos. Não faça pouco caso disso. Não os rejeite. E não desperdice essa oportunidade!

Por Jaquelle Ferris. Traduzido por Rilson Guedes. Jaquelle Ferris é autora de Isso muda tudo, apresenta o podcast Age of Minority. Encontre-a no Twitter!


Marcações: