Início » Renuncie a tragédia. Abrace a comédia.

Renuncie a tragédia. Abrace a comédia.

 
 

“Todos vamos morrer. Vivam de acordo com isso.” — Frank Costello

Por natureza, toda vida humana é trágica. Isso é verdade em pelo menos dois sentidos. Primeiro, a história de todo mundo é descrita pelo Salmo 103.15,16:
 

Nossos dias na terra são como o capim;
 como as flores do campo, desabrochamos.
 O vento sopra, porém, e desaparecemos,
 como se nunca tivéssemos existido.

Esse é o formato da tragédia clássica: um rosto carrancudo olhando pra baixo. Enquanto a comédia é caracterizada pelo sorriso pra cima, a tragédia é o tipo de conto que termina com um “e eles foram miseráveis para sempre.” Na literatura, uma história que termina com um funeral é uma tragédia. E toda história humana termina com um funeral, mas o que isso diz de nossas vidas? Que elas são trágicas até o final. Este é o primeiro sentido em que podemos dizer que a vida é trágica.
 
Mas há um segundo sentido. Nós fazemos parte de uma tragédia ao escolher viver uma vida trágica. Quando somos determinados a escalar até o topo do mundo, e de agarrar desesperadamente a todas as experiências e conquistas que pudermos, sabendo que em breve perderemos tudo isso. O chefe da máfia Frank Costello diz com certa franqueza que: “Todos vamos morrer. Vivam de acordo com isso.” Você pode até lembrar de Jack Nicholson citando essa linha no filme Os infiltrados (The Departed, 2006). Mas você não precisa ser um senhor do crime assassino para colocar em prática essa filosofia. Cada ostentação que fazemos, cada mentira que contamos, cada libertinagem a qual cedemos, cada calúnia que espalhamos, cada rancor que carregamos segue o mesmo padrão: Estamos tentando escalar no mundo, e tememos nossa queda. De um jeito ou de outro, todos vivemos a tragédia.
 
Ainda assim, quando Jesus veio ao mundo, as suas primeiras palavras, segundo o Evangelho de Marcos, foram estas:
 

O tempo está cumprido, e o reino de Deus está próximo. Arrependei-vos, e crede no evangelho. (Marcos 1:15)

Se ‘arrepender’, significa literalmente ‘mudar de mentalidade’. Antes, você acreditou em más notícias. Você acreditou que não havia salvação, nem esperança, e você viveu de acordo com isso. Você viveu a tragédia, acreditando que, quando se trata de viver da melhor forma, era você quem decidia o que deveria fazer. Com essa mentalidade, você pensou que Deus era o problema e você era a solução.
 
Mas não. O que Jesus diz é que você deve se arrepender. Você precisa de um revolução de mentalidade que vai revolucionar a sua vida. Deus não é o problema e você não é a solução. Você é o problema. Deus é a solução. Pense outra vez. Se arrependa.
 

Pense outra vez

Horace Walpole disse em certa ocasião que “o mundo é uma comédia para os que pensam e uma tragédia para os que sentem.” Isso é talvez mais verdadeiro do que Walpole pensava. Se apenas reagimos emocionalmente aos sofrimentos deste mundo, chamaremos instintivamente a vida de tragédia. Mas se pensamos — mais especificamente, se pensamos outra vez em arrependimento — veremos que até aqueles sofrimentos carregam a forma de comédia.
 
Tudo que fere de maneira horrível neste mundo fere porque não é assim que deveria ser. Cada dor de cabeça é parte de algo que foi corrompido. É a saúde destruída pela doença, a ordem destrocada pelo caos, o amor arruinado pelo ódio. Toda a nossa dor é sobre algo maravilhoso caindo em catástrofe. Mesmo assim, percebemos que essa é forma de toda comédia, pelo menos a primeira parte delas. Pense! Até mesmo nossos sofrimentos testificam a comédia, porque uma comédia é uma história que começa na descida do vale, mas então — você acredita? — termina lá em cima!
 
Como isso pode ser verdade? Pense outra vez! Olhe novamente para Cristo. Será que Ele é aquele que vai mudar nossa história? Será que Ele é o Autor que entra dentro no conto? Será que Ele é Aquele que veio para trazer uma reviravolta em nosso enredo? Será que esta morte é apenas uma tragédia, ou é uma transição de um ato a outro? Será que Ele é um herói trágico de uma causa perdida, ou Ele é um desbravador invencível, destruindo a morte por dentro para trazer esperança? Quando você começar a perceber quem Ele é, você vai começar a abraçar a comédia.
 
 

Viva a comédia

Quando Jesus diz: “Arrependei-vos e crede no evangelho,” ele está lhe convidando a renunciar a tragédia e a abraçar a comédia. Se você costumava pensar que o sentido da vida era escalar até o topo e ganhar seus cinco minutos de fama para aproveitar seu breve momento perto do sol. Isso é absolutamente trágico. Se arrependa. Mude de mentalidade. Jesus te convida a abraçar a comédia.
 
“Maravilhoso!” você pode dizer, “Parece muito divertido!” Bem, e é. Mas é assim que a alegria parece: um rosto sorridente, olhando de baixo pra cima. Ela parece com a descida de um vale através de serviço, sacrifício e sofrimento. Com seguir os passos do amor centrado de Cristo.
 
Viver a comédia significa fazermos a nós mesmos menores em abnegação pela esperança de justificação. É o oposto de nossos caminhos naturais e trágicos. Costumávamos escalar o mundo, para se agarrar egoisticamente a vida. Agora, renunciamos a tudo isso. O nosso caminho é pra baixo e depois pra cima, nessa ordem. Por isso, abrimos mão de nossas vidas para o bem do próximo e descobrimos que é assim que aproveitamos a verdadeira vida — a vida de Cristo, a vida do reino.
 
Nada disso é o preço de nossa salvação. Mas a forma que ela toma. Por causa de Cristo — Por causa da Páscoa — há realmente um “felizes para sempre”. A vida é realmente uma comédia divina. Viva de acordo com isso.
 

De Glen Scrivener para o The Gospel Coalition. Glen é evangelista e autor de vários livros. Encontre-o em seu canal no YouTube. Traduzido para o Narniano por Rilson Joás.