Polícia indiana impede famílias de cultuarem, acusando-as de falsa conversão a Cristo

Representantes da polícia indiana no estado de Karnataka, que fica no sul do país, proibiu que 15 famílias cultuassem baseado na acusação de que elas teriam sido forçadas a se converter ao cristianismo, já que elas não são cristãs de nascimento.

O superintendente de política do distrito de Hassan e seus companheiros de trabalho reuniram as famílias em uma vila e pediu para que provassem que eram cristãos. Eles os acusaram de querer benefícios do governo como participantes do hinduísmo e do cristianismo ao mesmo tempo.

“Esta é uma tentativa final de radicais hindus para usar a polícia estatal como meio de atacar as atividades cristãs,” disse um cristão local para a ONG Internacional Christian Concern. “Eles já tentaram de tudo incluindo boicotes sociais e ataques físicos. Mesmo assim, os cristãos locais continuam fiéis em meio a assédios contínuos.”

Isto aconteceu em um estado governado pelo partido nacionalista hindu Bharatiya Janata Party, o mesmo do primeiro ministro Narendra Modi. Após sua ascenção, incidentes contra cristãos têm crescido desde 2014, quando ele assumiu a liderança indiana.

As leis anti-conversão na Índia

No mês passado uma nova lei anti-conversão foi aprovada no estado de Uttar Pradesh, o mais populoso do país. E as primeiras consequências já foram sentidas. Na semana passada, um cristão coreano e mais três cristãos indianos foram presos no estado por estarem alimentando pobres.

Além disso, leis similares existem nos estados de Odisha, Madhya Pradesh, Arunachal Pradesh, Chhattisgarh, Gujarat, Jharkhand, Himachal Pradesh e Uttarakhand.

Segundo a Federação de Indianos Cristãos da América do Norte (FIACONA, em inglês), é lamentável o fato do governo norte-americano não ter se pronunciado sobre a crescente perseguição aos cristãos no segundo país mais populoso do mundo, depois da China. “O governo federal (indiano) permitiu violência contra minorias e suas casas de adoração para que a impunidade continue,” disse o grupo.

“O governo liderado pelo partido nacionalista hindu BJP continua a afirmar convenientemente que os casos de violência contra os cristãos na Índia são indicentes isolados. E que não tem nada a ver com as políticas do governo,” concluíram.

A Índia atualmente se encontra em décimo lugar no índice de perseguição da ONG Portas Abertas, com números de casos em aumento a cada ano.


Com informações do Christian Post e da ONG Internacional Christian Concern.


Marcações:

Deixe o seu comentário