Início » A necessidade de reflexão cristã fora da Igreja

A necessidade de reflexão cristã fora da Igreja

 
A presença cristã nos círculos intelectuais e artísticos tem sido decrescente no mundo ocidental há pelo menos alguns séculos. E a consequência disso é que as pessoas, mesmo em países ditos ‘cristãos’, não sabem mais responder perguntas básicas sobre o cristianismo, e nem sequer conseguem imaginar porque alguém seria cristão sem diminuir a fé a uma superstição.
 
Essa necessidade de conseguir se engajar novamente com as ciências e as artes numa linguagem cristã já foi expressa por vários pensadores, como Abraham Kuyper, Hans Rookmaaker, Gordon H. Clark, Francis Schaeffer e outros. Mas creio que ninguém se expressou melhor sobre isso que C. S. Lewis:
 

“Acredito que todo cristão qualificado para escrever um bom livro popular sobre qualquer ciência ajudaria muito mais com isso do que com apologética. A dificuldade com que nos deparamos é a seguinte: conseguimos (com frequência) que as pessoas ouçam o ponto de vista cristão durante mais ou menos meia hora, porém, no momento que em saem de nossa palestra ou acabam de ler nosso artigo, mergulham de volta num mundo onde a opinião oposta é generalizada.

Todos os jornais, filmes, romances e livros didáticos minam nosso trabalho. Enquanto tal situação perdurar, o sucesso amplo será simplesmente impossível. Precisamos atacar a linha de comunicação do inimigo. Não precisamos de mais livretos sobre o cristianismo, mas, sim, de mais livretos cristãos sobre outros assuntos — como o cristianismo latente. Vemos isso com mais facilidade olhando por outro lado. Não é provável que nossa fé seja abalada por um livro sobre hinduísmo. Entretanto, se toda vez que lermos um livro de geologia, botânica, política ou astronomia, encontrarmos implicações hindus, isso nos abalará.

Não foram os livros escritos em defesa do materialismo que tornou o homem moderno materialista. Foram as posições materialistas contidas em todos os outros livros. Da mesma forma, os livros sobre cristianismo não os incomodarão muito. Mas ele ficaria perturbado se, toda vez que procurasse um livro de introdução a uma ciência, a melhor obra no mercado fosse sempre escrita por um cristão. O primeiro passo para a reconversão do país seria uma série de livros escritos por cristãos que vencesse os best-sellers em seu próprio terreno.”
C. S Lewis, Ética Para Viver Melhor, p. 98–99

Como já disse Rookmaaker: “Todos podem lutar pelo Senhor em seu próprio campo e com sua própria capacidade.”
 
Deus cura por meio de médicos. Deus cria obras de beleza por meio de artistas. Deus comunica verdade por meio de jornalistas. Deus aplica justiça por meio dos magistrados. Deus comunica amor por meio de pais, filhos, esposos e esposas. Deus traz alimento por meio do trabalho por meio de uma moça ordenhadeira de vacas!
 
Se Deus te confiou uma vocação, seja qual for, busque no momento atual glorificar a Deus através dela e com ela servir ao seu próximo da melhor maneira, inclusive entendendo como seu campo de estudo se relaciona ao Evangelho.
 

“Creio que existe uma doutrina cristã do trabalho, intimamente relacionada às doutrinas da força criativa de Deus e à sua imagem no ser humano. A heresia essencial (moderna) é que o trabalho não é expressão da força criativa do homem a serviço da sociedade, mas apenas algo que ele faz para conseguir dinheiro e lazer.”
Dorothy Sayers em ‘Creed or chaos’.

“Portanto, quer comais quer bebais, ou façais, qualquer outra coisa, fazei tudo para glória de Deus.”
(1 Co 10:31)


Marcações: